Busca por estabelecimento:

Últimas Notícias

Agenda

 

Dia Mundial Sem Carro

21 SET 2017


Comemorando o Dia Mundial Sem Carro, que acontece nesta sexta-feira, 22 de setembro, unidades da rede municipal realizarão atividades com a criançada. Na Escola Básica Municipal Almirante Carvalhal, em Coqueiros, ocorrerá uma passeata com alunos e professores, que irão da escola até o Parque de Coqueiros a pé, de bike e de skate. Eles ainda produzirão cartazes com reflexões sobre a real necessidade do uso da “magrela”. O evento ocorrerá no final da manhã e no final da tarde, para contemplar os dois turnos. Crianças do 4º ao 9º ano participarão.

Já a Escola Básica Municipal Lupércio Belarmino da Silva, na Caieira da Barra do Sul, fará uma roda de conversa sobre a importância do uso de meios de transporte diferenciados com todas as turmas da unidade. Depois, as crianças do 4º e do 5º ano produzirão coletivamente um cartaz sobre a roda de conversa, que será fixado na entrada da escola. Haverá ainda ações na Escola Básica Municipal Osmar Cunha, em Canasvieiras e na Creche Municipal Hassis, na Costeira do Pirajubaé.

Bicicleta na Escola: Cidade ganha projeto para incentivar o uso da bicicleta 
Programa foi lançado
 nesta quinta-feira, 21, véspera do Dia Mundial Sem Carro (fotos)

João, Luís, Duda. Os três têm várias coisas em algum, entre elas a idade, cinco anos, e o amor e fascínio pela bicicleta. Matriculados no Núcleo de Educação Infantil Municipal (NEI) Nagib Jabor, no Estreito, o trio participou na manhã desta quinta-feira, na unidade, do lançamento do projeto da Prefeitura de Florianópolis Bicicleta na Escola Floripa. Eles, com os demais frequentadores do NEI, terão a oportunidade de aprender mais sobre segurança no trânsito para quem anda com o transporte de duas rodas, assim como sobre equilíbrio e organização espacial e sustentabilidade, uma vez que o veículo não é poluente.

A coordenação geral do projeto é de Ana Destri, professora de educação física no NEI Nagib Jabor, e que é mentora do Bicicleta na Escola  em nível nacional. A professora já trabalha em algumas unidades de ensino o uso consciente do equipamento no ir e vir da escola. Sobre o assunto, ela deu palestras pelo Brasil, no Chile, no México e na Holanda, esse último o país das “magrelas”.

O secretário de Educação Maurício Fernandes Pereira mora no bairro Carvoeira, na Ilha. Ele foi de bicicleta até a instituição de ensino, no lado continental.  Acostumado a pedalar toda semana, percorreu um trajeto de 12 quilômetros. Depois, retornou para a residência dele novamente de bicicleta. “As crianças e adolescentes se transformarão em adultos. Esperamos com uma consciência de que andar de bicicleta faz bem saúde, contribuiu com o meio ambiente e é fonte de informação em diversas disciplinas escolares, como Matemática, Ciências, História e Geografia”, destaca o secretário.

A Secretaria de Educação é responsável por 79 unidades de educação infantil e 36 escolas. O papel de Ana Destri, ciclista de longa data, é prestar consultoria aos estabelecimentos de ensino que se engajarem no projeto. “Já venho desenvolvendo esse trabalho na rede. Queremos aumentar o número de escolas e creches que discutam esse transporte”, diz.
Divididos em grupos, parte das 187 crianças do NEI Nagib Jabor foram até a Avenida Governador Ivo Silveira, nas imediações da instituição, para alertar a população sobre a importância de respeitar o meio ambiente e quem usa bicicleta. Dentre as palavras de ordem, estavam “Ei motorista, respeite o ciclista” e “Mais amor, menos motor”.

Ir e vir
A ideia do projeto é incrementar este modo de vida sustentável, baseado na atividade física. “Queremos tornar o uso da bicicleta, no ir e vir da escola, um hábito frequente”, destaca o secretário de Educação. O projeto busca levar aos estudantes um pouco da história da bicicleta, sua utilização, bem como a manutenção. Além disso, ele visa instruir sobre a educação para o trânsito e despertar o senso crítico das crianças com relação à mobilidade urbana.
Ana Destri enfatiza que a intenção é formar multiplicadores nas questões de educação para o trânsito não só dentro do ambiente escolar, mas nas imediações das unidades educacionais. “A consciência tem que ser coletiva e mais ampla possível”, diz.

Projeto coletivo
Como atividades práticas, crianças e jovens terão oficinas de equilíbrio e destreza e percorrerão ciclorrotas, que são trechos recomendados por onde os ciclistas devem circular.  Os estudantes irão elaborar placas cicloativistas, materiais para alertarem motoristas de veículos motorizados para que compartilhem as vias públicas com as bicicletas.
O projeto terá o auxílio dos professores e demais profissionais da rede municipal de ensino. “A ajuda de cada um deles é fundamental para o sucesso desta iniciativa”, relata Ana Destri.
Além disso, conta com o apoio da Bike Anjo, grupo de voluntários que ajudam pessoas a andarem de bicicleta no trânsito. A turma dá assistência e indica os melhores trajetos para fazer e acompanha o ciclista iniciante em suas primeiras pedaladas. A Associação Mobilidade por Bicicletas e Meios Sustentáveis (Amobici) igualmente é parceira. A entidade foi criada para promover a bike como meio de transporte sustentável.

O Bicicleta na Escola Floripa tem o objetivo também de inserir esse meio de transporte no documento que norteia as ações escolares, o Projeto Político Pedagógico (PPP) de cada unidade escolar. “A formação do senso crítico de uma geração futura, com um pensar sustentável, pode começar pelo   brinquedo, a bicicleta”, destaca Ana Destri.

Texto e fotos: Ricardo Medeiros (Secretaria Municipal de Educação)

 


Fotos